Sócios

Fundadores da ANIR
Eduardo Costa, Correio de Azemeis, Presidente da Direccao da Associacao Nacional de Imprensa Regional
Eduardo Costa

Presidente da Direcção

Correio de Azeméis

Lucia-Costa-Presidente
Lúcia Costa

Presidente da Direcção

Correio de Azeméis

Correia Fernandes, Voz Portucalente, 1Vogal da Direccao da Associacao Nacional de Imprensa Regional
Correia Fernandes

1º Vogal da Direcção

Voz Portucalense

Alvaro Neto, Gazeta de Pacos de Ferreira, 2Vogal da Direccao da Associacao Nacional de Imprensa Regional
Álvaro Neto

2º Vogal da Direcção

Gazeta de Paços de Ferreira

Maria do Carmo Bica, Gazeta da Beira, Secretaria da Direccao da Associacao Nacional de Imprensa Regional
Maria do Carmo Bica

Secretária da Direcção

Gazeta da Beira

Filipe Ribeiro, Noticias de Aguiar, Suplemente da Direccao da Associacao Nacional de Imprensa Regional
Filipe Ribeiro

Suplente da Direcção

Notícias de Aguiar

Joao-Mota,-O-Concelho-de-Estarreja,-Tesoureiro-da-Direccao-da-Associacao-Nacional-de-Imprensa-Regional2
João Mota

Tesoureiro da Direcção

O Concelho de Estarreja

Jose da Silva Pinho, O Regional, Presidente da Assembleia Geral da Associacao Nacional de Imprensa Regional
José da Silva Pinho

Presidente da Assembleia Geral

O Regional

Paulo Cesar Simoes, Pombal Jornal, Vice-Presidente da Assembleia Geral da Associacao Nacional de Imprensa Regional
Paulo César Simões

Vice-Presidente da Assembleia Geral

Pombal Jornal

Jorge-Andrade,-Correia-da-Feira,-1-Secretario-da-Assembleia-Geral-Associacao-Nacional-de-Imprensa-Regional2
Jorge Andrade

1º Secretário da Assembleia Geral

Correia da Feira

Isaac-Correia,-Alto-Alentejo,-2-Secretario-da-Assembleia-Geral-Associacao-Nacional-de-Imprensa-Regional
Isaac Correia

2º Secretário da Assembleia Geral

Alto Alentejo

Jose Alberto Goncalves, O Comercio de Baiao, 1 Suplente da Assembleia Geral Associacao Nacional de Imprensa Regional
José Alberto Gonçalves

1º Suplente da Assembleia Geral

O Comércio de Baião

Joaquim-manuel-dias-2suplente-assembleia-geral
Joaquim Manuel Dias

2º Suplente da Assembleia Geral

Notícias de S. Braz

Joaquim-manuel-dias-2suplente-assembleia-geral
Manuel Oliveira Lopes

3º Suplente da Assembleia Geral

O Riachense

Joao Carlos Tonilhas, O Povo da Beira, Presidente do Conselho Fiscal da Associacao Nacional de Imprensa Regional
João Carlos Tonilhas

Presidente do Conselho Fiscal

O Povo da Beira

Joaquim-manuel-dias-2suplente-assembleia-geral
Fernando de Sant'Agueda Reis

Vice-Presidente do Conselho Fiscal

Jornal do Algarve

Luciano-Goncalves,-Noticias-do-Tamega,-Suplemente-do-Conselho-Fiscal-da-Associacao-Nacional-de-Imprensa-Regional2
Luciano Gonçalves

Suplente do Conselho Fiscal

Notícias do Tâmega

O Museu de Nacional de Imprensa fez questao que a sessão decorresse na emblematica Sala NunAlvares-2o
Sócios Fundadores

O Museu de Nacional de Imprensa fez questão que a sessão decorresse na emblemática ‘Sala Nun’Alvares’

O Museu de Nacional de Imprensa fez questao que a sessão decorresse na emblematica Sala NunAlvares1
Sócios Fundadores

O Museu de Nacional de Imprensa fez questão que a sessão decorresse na emblemática ‘Sala Nun’Alvares’

O Museu de Nacional de Imprensa fez questao que a sessão decorresse na emblematica Sala NunAlvares3
Sócios Fundadores

O Museu de Nacional de Imprensa fez questão que a sessão decorresse na emblemática ‘Sala Nun’Alvares’

Quem Somos

ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE IMPRENSA REGIONAL

A ANIR, é a única associação de imprensa que reúne, exclusivamente, a Imprensa Regional portuguesa. Foi fundada por jornais de entre os mais representativos e prestigiados, de várias Regiões do país, do Minho ao Algarve, que sentiram a necessidade de uma organização que pugne por soluções que contribuam para a sua manutenção e crescimento.

A Imprensa Regional de Portugal tem bases numa grande e prestigiada tradição, com muitos órgãos centenários e com décadas de publicação interrupta, com novos órgãos, também digitais, que vão surgindo em resposta às necessidades regionais e locais. Serve os cidadãos de áreas geográficas específicas, que usualmente tem em interesses, vivendas e, ou Administração Pública comuns. Comunidades que tem, unicamente através dos seus jornais regionais e locais, o conhecimento e o esclarecimento, em confronto de opiniões, do que de importante se passa à sua volta e a oportunidade de participarem nas questões que de facto lhes interessam.

Órgãos de comunicação social que representam um Serviço de Interesse Público de proximidade, insubstituível, contribuem para a Cidadania e participação ativa dos cidadãos na vida dos seus Concelhos e Regiões, para a transparência dos atos da Administração Pública e de todos os que devem ser do conhecimento dos cidadãos. Os jornais regionais são o local onde se encontram diferentes formas de ver o desenvolvimento local, permitindo o debate público e o esclarecimento de questões decisivas para as comunidades locais e regionais e para o seu desenvolvimento e necessária participação cívica e democrática.

Atividade

17 JORNAIS DE NORTE A SUL DO PAÍS CRIAM EM 2015 A ANIR - ASSOCIAÇÃO NACIONAL DA IMPRENSA REGIONAL
Dezassete órgãos da imprensa regional portuguesa, representando praticamente todas as regiões do país, do Minho ao Algarve, estiveram no Museu Nacional de Imprensa, no Porto para outorgar a constituição da Associação Nacional da Imprensa Regional (ANIR), elegendo em simultâneo os órgãos sociais para o próximo quadriénio.
Segundo afirmado no ato de posse, o motivo foi justificado pelo facto de “a imprensa regional e local não dispor de uma associação representativa, exclusivamente, do setor”, e “os 17 jornais subscritores concluíram pela necessidade da associação nacional, que deverá estudar e propor soluções de futuro, para um setor que tinha mais de 700 publicações há uma década e que regista hoje menos de duas centenas, segundo os registos do Incentivo à Leitura”.
O presidente eleito, Eduardo Costa, em representação do “Correio de Azeméis”, agradeceu a confiança nele depositada e lembrou que “a imprensa local e regional é um património do país, fundamental para as comunidades locais, contribuindo para a aproximação dos cidadãos à vida da sua região e conselho, sendo indispensável para o exercício democrático das zonas geográficas que serve”.
Eduardo Costa, referiu que a imprensa local e regional tem a beneficiá-la a credibilidade e o prestígio junto da comunidade e dos leitores, uma boa parte com décadas de serviço de interesse público e são, em muitos casos, o único arquivo histórico”. Referiu ainda que “muitos dos seus atuais proprietários e diretores sentem o peso da responsabilidade que herdaram. Muitos deles, para honrar essa herança, tem sustentado do próprio bolso os seus jornais, sobretudo nesta época de grande crise do país. É tempo de reconhecer esse esforço e sentido de responsabilidade herdada e missão, sem a qual a imprensa portuguesa, as regiões e os municípios estariam mais pobres”, concluiu.
Na qualidade de ex-presidente de Câmara (S. João da Madeira), o convidado Manuel Castro Almeida exortou os jornais locais e regionais a continuarem o serviço de interesse público que prestam às populações e ao país. “Hoje teria sido menos parco nas verbas para a imprensa do meu concelho, tendo presente o conhecimento de que, só através desta imprensa de proximidade, a população pode tomar conhecimento das atividades do município, o que contribui insubstituivelmente para a necessária transparência do poder local”. Por outro lado, “o presidente da Câmara deve olhar para a imprensa local e regional como olha para instituições indispensáveis ao seu município. Deve beneficiá-las com um correto apoio, usando as suas páginas para divulgar as informações de interesse para os cidadãos, sem deixar de respeitar a independência do jornal”.

CONGRESSO NACIONAL
DA ANIR

novembro 2018, Pedrogão Grande

AUDIÇÃO NA COMISSÃO PARLAMENTAR CULTURA E COMUNICAÇÃO SOCIAL

A Direção da ANIR foi ouvida na Comissão Parlamentar da Assembleia da República, presidida pela Deputada Edite Estrela.
Na oportunidade, esclareceu os deputados membros desta Comissão sobre a atualidade da Imprensa Regional e Local, enumerando as várias propostas da ANIR para a revitalização do setor.

A Direção reuniu posteriormente, na Assembleia da República, com os parlamentares de cada partido, para melhor esclarecer sobre as propostas da Associação.

As propostas da ANIR mereceram o acolhimento dos deputados.

DIREÇÃO DA ANIR REUNIU COM MINISTRO

A Direção da Associação Nacional da Imprensa Regional foi recebida pelo Ministro da Cultura Castro Caldas, onde apresentou as propostas para a revitalização da Imprensa Regional e Local.
O Ministro que tutela a Comunicação Social mostrou-se recetivo às propostas da ANIR.

PROPOSTAS DA ANIR PARA A REVITALIZAÇÃO DA IMPRENSA REGIONAL E LOCAL

A ANIR, única associação exclusivamente representativa de toda a Imprensa Regional e Local, impressa e digital, vem solicitar uma audiência a V. Exa para apresentar cumprimentos, apresentar a associação e expor 6 prioridades que resumimos como fundamentais para a existência e crescimento da IRL, designadamente na sequência do Congresso Nacional em Pedrógão Grande no pretérito mês de novembro.

1- O INCENTIVO À LEITURA

O Incentivo à Leitura é um apoio fundamental para a Imprensa Regional e Local. A tradição do jornal da terra entrar nas famílias, gerando hábitos de leitura, em todas as gerações, é uma especificidade que mantém a relação de afeto da comunidade com os seus jornais. A Literacia Mediática tem nos jornais regionais e locais, através da assinatura, meios adequados ao crescimento da leitura de jornais.

Em tempo em que a realidade era outra, no início do século, foi criada legislação que obrigou os jornais a pagar uma parte considerável deste custo, até então suportado por inteiro pelo Estado, e criou obrigações que hoje estão completamente desajustadas da realidade.

A quebra generalizada nas tiragens, a redução do número de jornalistas nas redações são realidades atuais de toda a Imprensa Tradicional – que, nas palavras do Senhor Presidente da República, proferidas recentemente, vive uma “situação de emergência”, tendo o Chefe de Estado sugerido o reforço do apoio público do “Porte Pago” como forma de auxiliar a existência da Imprensa Regional e Local.

Senhora Ministra da Cultura,

Adequar a legislação e o Incentivo à Leitura à realidade atual pode salvar muitos jornais, vai aumentar a leitura e, assim, contribuir para a Literacia Mediática e para a manutenção dos imprescindíveis Jornais Regionais e Locais, tão reconhecidamente necessários à Democracia e à Cidadania, que faz próximas as Comunidades regionais e locais.

Reconhecemos que os leitores da Imprensa Regional e Local não estão disponíveis para suportar os custos da expedição postal.

Assim, é essencial à revitalização da tradicional IRL, que
– a comparticipação do Estado seja aumentada para 80 por cento para a periodicidade semanal; e 70 por cento para as periodicidades inferiores.

– o número de profissionais exigido para a obtenção deste apoio deve ser adequado à realidade atual, passando a ser exigível, pelo menos UM jornalista profissional para os semanários e para as restantes periodicidades inferiores, pelo menos UM profissional deste ou de outros saberes.
– o número de anos de publicação regular exigível deve passar a ser de DOIS ANOS.
– a tiragem mínima também haverá de se adequar à realidade presente, devendo ser exigida a tiragem de pelo menos MIL exemplares.
– incentivar à assinatura pelos organismos públicos, nomeadamente escolas, sendo a expedição postal destas comparticipada a 100 por cento.
– permitir que até dez por cento da expedição postal possa ser usada para a promoção da leitura e de novas assinaturas.

(Segundo os estudos que elaboramos, estas alterações representam um acréscimo para o OE de cerca de 1 milhão de euros (não contabilizando os diários da Região Centro, que consomem cerca de 500 mil euros anuais deste Incentivo).)

2- OS INCENTIVOS AO INVESTIMENTO E À MODERNIZAÇÃO

Torna-se essencial para o futuro dos jornais regionais e locais a modernização tecnológica, nomeadamente em relação ao Digital, que se apresenta como uma janela de oportunidade para projetos Multiplataforma, em soluções híbridas, onde o papel e o digital são complementares, para os conteúdos chegarem a mais e diferentes leitores, aumentado a audiência e, assim, as receitas, nomeadamente publicitárias.
– O Incentivo à Modernização Tecnológica também deve contemplar os Jornais (e não só as rádios – corrigindo o facto de não haver qualquer Incentivo para o “papel”).
– Os referidos Incentivos haverão de ter uma periodicidade anual de atribuição, cumprindo a Legislação.
– Não devem as empresas ser obrigadas ao pagamento antecipado do valor do Incentivo que é atribuído.
– O recebimento do mesmo por parte das empresas deve respeitar prazos razoáveis e certos.

3- PUBLICIDADE DO ESTADO: O INCUMPRIMENTO DA LEI

Vem a ANIR dar conta a V. Exa de que não está a ser cumprido o Decreto-Lei n. 231/2004, de 13 de dezembro, que estabelece uma percentagem de 25% dos investimentos publicitários do Governo, Serviços da Administração Central e Institutos Públicos pela Comunicação Social Regional e Local, devendo ser considerado o valor unitário igual ou superior a € 2.500,00 para o conjunto das acções informativas e publicitárias.

Sensibilizamos V. Exa para a oportunidade do empenho no cumprimento dessa legislação, que, no presente poderá incentivar a difícil existência dos Jornais Regionais e Locais.

(O cumprimento desta Lei não representa custo para o OE).

4- AUMENTO DA PROFISSIONALIZAÇÃO DAS REDAÇÕES

A qualidade dos conteúdos é fundamental para a afirmação dos Jornais Regionais e Locais, pelo que deve ser incentivada a contratação de Jornalistas profissionais, gerando deste modo, também, emprego num setor com conhecida carência de oportunidades.
Deverá ser apoiada a contratação de UM jornalista com carteira profissional.

(O custo desta medida para o OE poderá traduzir-se em cerca de 150 mil euros).

5 – AUDIÊNCIA / RECEITAS PUBLICITÁRIAS

A Medição da Audiência dos Jornais Regionais e Locais é essencial para a captação de receitas publicitárias, pelo que devem ser apoiados estudos especializados, no âmbito dos Incentivos do Estado existentes.

(A medida não representa custo para o OE.)

6- BENEFÍCIO FISCAL DE ASSINANTE

O custo da assinatura de Jornais Regionais e Locais deve ser considerado Despesa em sede de IRS, com cabimento nos limites definidos para “Livros”.

(A medida não representa custo para o OE).

Senhora Ministra,

Temos presente que a revitalização, quiçá a manutenção, do sector da comunicação social de âmbito regional e local implica o reconhecimento do seu papel pelo Estado.

Creia-nos, Senhora Ministra, com os protestos da nossa mais elevada consideração e estima.

A Direção

Enter your keyword